Actividades

O nosso mercado de actuação será o dos países da CPLP, onde iremos encontrar uma difícil realidade política e cooperativa nas economias africanas e brasileiras. Teremos sempre presente a dimensão cultural subjacente a toda estratégia; a indispensabilidade da acção internacional de modo a atrair recursos e interesses internacionais de uma forma constante para a realização dos objectivos.

História e Evolução da Associação

A Studium assenta num trabalho realizado ao longo de uma década em missões nos cinco PALOP’s e no Brasil e ainda em projectos de investigação realizados em empresas de consultoria, e na organização de conferências e seminários. Surgiu da ideia de reforçar os laços económico-empresarial com os países em desenvolvimento, dando especial atenção para os países de Língua Portuguesa.

Com vista a realização de projectos, a Studium desenvolverá ao longo da fase de implementação parcerias com entidades públicas e privadas dos países da CPLP de modo a concretizar missões empresariais a São Tomé e Príncipe e aos restantes países da CPLP; Feiras, visitas a instalações de empresas, bem como promover e realizar estudos de mercado e apoio ao desenvolvimento do Sistema Jurídico de STP e da CPLP.

A Studium desenvolverá protocolos e parcerias que visem a concretização de acções de formação através da criação de um Centro de Formação Técnico-Profissional e Empresarial e a criação de um Centro de Negócios.

Factores de Visibilidade

Os nossos serviços serão utilizados na vertente investimento por empresas/empresários e na vertente desenvolvimento social por Instituições de caracter social e população em geral.

A Associação rege-se por um Código de Ética assente em princípios rígidos Ético-Deontológicos; que nos proporcionará uma imagem de credibilidade e idoneidade no espaço lusófono.

Descrição dos Serviços:

A Studium é um projecto empresarial assente num conceito socio-económico e que pretende afirmar-se como factor de desenvolvimento de STP, nomeadamente, através da valorização dos recursos humanos locais e a melhoria da competitividade e produtividade das instituições públicas e privadas.

Pretende-se a criação de condições favoráveis ao desenvolvimento do sector privado enquanto motor do crescimento económico, promoção de parcerias público-privadas, reconhecidas na Assembleia Geral em STP como importantes instrumentos para a formação de ambientes propícios ao normal funcionamento das empresas e à atracção e aumento do investimento, factor essencial à criação de riqueza e emprego, criando confiança entre todos os parceiros e financiadores do desenvolvimento do País.

Para além de uma equipa experiente em gestão de projectos e consultoria, a Studium conta com a colaboração de equipes multidisciplinares de consultores locais de reconhecida capacidade e prestigio em diferentes domínios de actividade, o que permite a detecção de oportunidades de negócio e o respectivo acompanhamento.

A Studium está consciente da importante situação geo-estratégica de STP e da importância das relações regionais, relações que ganharam ainda mais importância depois da constituição da CEEAC ( Comunidade Económica dos Estados de África Central).

Resultado dos Estudos:

Na sequência da apresentação do projecto no seminário realizado em STP, a 24 de Abril de 2003, conclui-se que os principais alvos serão empresas fortemente implantadas na CPLP, USA ,UE,CEEAC e SADC que face ao fenómeno da Globalização sentem a necessidade de promover uma melhor integração com os países em vias de desenvolvimento no comércio mundial e na economia global.

Reconheceu-se que a nova ordem internacional, caracterizada por uma maior liberdade de comércio de bens e serviços e pela expansão das empresas multinacionais, pela rápida mutação tecnológica e pela defesa da propriedade intelectual, torna-se uma fonte de riqueza e de desenvolvimento.

Restrições Legais:

Permissibilidade de criação de uma Associação de pessoas colectivas de direito privado, de tipo associativo, na Ordem Jurídica de São Tomé e Príncipe.

A lei fundamental de STP, na sua expressão actual, tanto como no seu texto original (Lei n.º 1/80) e nos textos resultantes das sucessivas revisões (Leis n.º 2/82; 1/87; 7/90; 00/2002), manifesta-se constante no reconhecimento de direitos relativos ao instituto das associações de direito privado.

Na verdade, o art. 35 da Constituição (artº34 do texto da Lei 7/90), no seu nº1, determina que “os cidadãos têm direito de, livremente e sem qualquer autorização, constituir associações, desde que não sejam contrárias á lei penal ou não ponham em causa a Constituição e a independência Nacional”.

Na sequência da aprovação do Código do Investimento que serviu de atractivo à fixação de capitais externos nos vários sectores da economia Santomense, a Studium elaborou um estudo sobre o referido diploma a ser distribuído a potenciais investidores.

Objectivos de Marketing:

É nosso objectivo atrair associados com características de média e grande dimensão empresarial, e que pretendam expandir as suas áreas de negócio. Pretendemos ser identificados como um espaço de reflexão onde se debaterão os princípios e valores que deverão nortear à actuação de uma forma inovadora nas regiões mencionadas.